sábado, 22 de novembro de 2014



Destituídos da presença de Deus.


Todos nós fomos destituídos da presença de Deus pelos nossos pecados, mais como o pecado entrou no mundo, se disse Deus que tudo era bom, assim como todos nós sabemos que Adão foi o primeiro homem a viver na terá (Gn 2,7) também pro ele entrou o pecado no mundo e pro isto fomos destituídos da presença de Deus, para nós o fato de desobedecer a Deus não explicaria pro que todos nós fomos destituído da presença de Deus, se a culpa foi unicamente de Adão pro que nós sofremos por isto.

Deus como justo juiz (Sl 7,11) Nós disse em sua palavra; E porei inimizade entre ti e a mulher e entre a tua semente e a tua semente; esta te ferirá cabeça,e tu lhe ferirás o calcanhar.(Gn 3,15) Dês de o princípio da criação Deus já sabia o que iria acontecer, e também já havia provido o seu cordeiro (Jo 1,29 Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.)  O mesmo Deus que nós fomos destituídos, proveu seu cordeiro para o sacrifício, assim como para Abraão (Gn 22-7,8).

Assim como Adão todos nós nos fizemos pecadores perante Deus, e sabemos que; O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor. Romanos 6,23. Cristo como cordeiro de Deus nos Lavou de todo pecado e nós purifica de toda impurezas( Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras fomos sarados. Isaias 53,5) Assim graças a Jesus fomos restituídos a presença de Deus, e assim podemos estar juntos de Deus, e hoje sabemos que o próprio Deus, o Deus vivo mora dentro de nós; Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmo? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois a Deus no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus. 1 Coríntios 6-19,20. 

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Da antiguidade a eternidade, a revelação dos 4 impérios. (O reinado milenar está próximo)

Dentro de uns dos ramos da teologia que é a escatologia Bíblica, (Doutrina das últimas coisas, ou acontecimentos anteriores ao final) estudaremos o livro de Daniel, a estátua e os 6 elementos, a interpretação de Daniel, e o sonho de Nabucodonosor, também demonstrando o reinado milenar de Cristo, e um pouco a história da humanidade no contexto cultural.
Segundo relatos Bíblico Nabucodonosor rei de Babilônia de (607-539), teria tido um sonho jugo que ninguém teria revelado ao rei, nem magos, astrólogos, encantadores, caldeus, de maneira alguma teria falado o sonho ao rei e nem dado sua interpretação (Dn 2.1-11).
Mas um cujo nome era Daniel servo do Deus Altíssimo, o foi revelado (Dn 2.19). “Tu, ó rei, estavas vendo, e eis aqui uma grande estátua; esta estátua, que era imensa, cujo esplendor era excelente, e estava em pé diante de ti; e a sua aparência era terrível.
A cabeça daquela estátua era de ouro fino; o seu peito e os seus braços de prata; o seu ventre e as suas coxas de cobre;
As pernas de ferro; os seus pés em parte de ferro e em parte de barro.
Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Daniel 2:31-34”   
A Bíblia ela é bem clara na conotação dos impérios, na enorme estátua do rei está predita a história das nações gentílicas, no sonho de Nabucodonosor nos mostra 4 impérios da humanidade, Daniel no és bem claro ao dizer: “tu és a cabeça de ouro”. Daniel 2:38. Daniel falando com o rei da Babilônia declara de o primeiro reino é Babilônia a cabeça de ouro. Hoje na atualidade pouco se fala do império Babilônico, se não por muito dos seus jardins suspensos considerado como uma das sete maravilhas do mundo antigo, e do cativeiro Babilônico que antecedeu os Presas, pro fim ficou esquecido na antiguidade com suas ruínas.
Já pensando do reinado Babilônico para os Medos-Presa vemos: “o seu peito e os seus braços de prata” 2,32. A passagem do império Babilônica para o império Medo-Presa, se dá no ano de 539 a.C, onde pelas mãos de Dario o atual rei da Babilônia é morto, Dario entrega o Reinado para Ciro 2, o mais notável não é o fato de Daniel, mais sim o de Isaías ter dito quem reinaria a após Nabucodonosor; “Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações diante de sua face, e destingir os lombos dos reis, para abrir diante dele as portas, e as portas não se fecharão. Isaías 45:1”
Esta profecia se estende passando pelos Babilônicos, Medos-Presa, ao império da Grécia, e a Roma, que pro fim chega aos pés da estátua, que está definido como o reinado do anticristo, será um reino dividido, onde a besta e o falso profeta juntos com o anticristo reinara, onde se explica na visão do quarto animal de que Daniel fala; “O primeiro era como leão e tinha asas de águias” (Dn 7,3) (Primeiro império mundial dos tempos dos gentis: Babilônia (606-536 a.C.). Simbolizada pelo leão (Dn 7.4), rei dos animais. Isso fala da primazia do Império Babilônico sobre os demais que se seguiram. Corresponde a cabeça de ouro da estátua de Dn 2.32,37,38. As asas de águias falam de suas rápidas conquistas.) trechos do livro Daniel e Apocalipse, Pr Antônio Gilberto. Pg 34
Para voltamos a falar do assunto vamos ver o segundo animal que falou Daniel: “Continuei olhando e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes.” (7,5). O urso que dá estátua representa o peito de prata, isto é os Medos-Presa. “Segundo império mundial dos tempos dos gentis: a Pérsia. Simbolizada por um urso que se levantou sobre um dos lados tendo três costelas na boca (Dn 7.5). O lado que elevou-se foi a Pérsia que passou a ter ascendência sobre a Média. As três costelas falam da sua conquista da Babilônia, Lídia e Egito. Período da Pérsia como império mundial: 536-331 a.C.”  trechos do livro Daniel e Apocalipse, Pr Antônio Gilberto. Pg 35
O leopardo (7.6) corresponde ao ventre de bronze do capítulo 2, isto é, à Grécia (2.32,39). No capítulo 8.5,21 a Grécia volta a aparecer sob a figura de um bode. O leopardo tinha quatro asas e quatro cabeças. As quatro asas indicam mais rapidez nas conquistas do que Babilônia. As quatro cabeças falam da quádrupla divisão do império grego após a morte de Alexandre, a saber: Egito, Macedônia, Síria e Ásia Menor. De fato, em dez anos Alexandre dominou o mundo civilizado do seu tempo. Seu exército era altamente treinado e utilizava o princípio da guerra relâmpago, isto é, surpresa e rapidez nos ataques.
 Neste ponto falarei sobre o quarto animal para dar nós início ao tema do reino milenar, Quem seria o quarto animal? sim o anticristo, para chegarmos até Cristo temos que abortar este tema. Ob os temas estão ligeiramente ligados ao livro de apocalipse.
O quarto império antecipado por Roma acabara nas mãos do anticristo “Depois disso, eu continuava olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso e muito forte, o que tinha dentes grandes de ferro; ele devorava, e fazia em pedaços, e pisava aos o que sobejava ; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele e tinha dez pontas.” (7,7)
O que chama a atenção para este animal é a sua ferocidade, e com que o império Grécia rapidamente e esmagadora, outra coisa notável e os dez pontas, que denota os pés da estátua, com sendo dez reis nessa novo era, a sabre que denota as dez cifres da besta de apocalipse 13,1 /17,12, com os aliados do anticristo.

Para terminar o último reino o reino milenar e eterno de Jesus Cristo, votamos para estátua de Nabucodonosor no capitulo 2 Daniel diz: “Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Daniel 2:-34” Em toda Bíblia temos referência para saber o que é esta pedra, ou quem é esta pedra, que é Jesus Cristo, (At 4.11; 1 Co 10.4; 1 Pe 2.4 )    seu reinado nunca irá acabar “Mas os santos do Altíssimo receberão o reino e possuirão o reino para todo o sempre e de eternidade a eternidade.” (7,18). Uma das mais belas profecias do Antigo Testamento que estão para cumpri é a de Isaías 11,9 “Não se fará mal nem dano algum em todo o monte da minha santidade, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.” Esta mesma profecia se cumprira no milênio “Então, foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o cobre, a prata e o ouro, os quais se fizeram como a pragana das eiras no estio, e o vento os levou, e não se achou lugar algum para eles; mas a pedra que feriu a estátua se fez um grande monte e encheu toda a terra.” (Dn 2,35). Sabes que no monte de Jesus tudo será novo e para isto a pedra virara um monte e cobrira toda a terra, então podemos dizer Santo, Santo, Santo é o Senhor Jesus.
O Servo Fiel.

Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?  Mateus 24:45
O texto faz uma pergunta, e qual seria a sua resposta, sim, você que serve ao Senhor Jesus Cristo, você é o servo; todos nós temos a incumbência de prover e fornecer alimento para os demais membros de Cristo, usando a sabedoria de Deus, para saber o que é bom para cada pessoa, não é tarefa fácil para qualquer pastor, mais de arda compreensão.
Hoje nos dias que vivemos não vemos mais o evangelho ser pregado, as pessoas estão acomodadas a tantos meios de comunicação que não querem mais fala de Jesus, nas igrejas não estão mais dando importância a palavra de Deus, e sua pregação sai de qualquer jeito mesmo, sem o mínimo de preparo.
Em meio a tantas coisas existem um povo remanente que Jesus o dirá: Bem-aventurado aquele servo que Senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os bens. Mateus 24:46-47
O mau servo espanca os seus conservo, e bebê com os bêbados; Hoje quantos pastores não está assim, onde a soberba toma conta do coração, e invés de pregar a salvação, só prega desgraça e profetisa na sua vida, mais sabemos :Ninguém, de maneira alguma, vos engane porque não será assim sem que antes venha a apostasia... 2 Tessalonicenses 2,3.
Leitores sabemos que para os servos fiéis a Cristo nos será dito: E o seu senhor lhe disse: Bem está servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu Senhor. Mateus 25,21.
Mais para i servo mau o senhor o destruiria com o sopro da sua boca 2 Tessalonicenses 2,8. Então os servos fieis a Cristo poderão desfrutar de uma vida de gozo e alegria, Apocalipse 21,1-7.
Finalidades da música na Igreja                            

As sete grandes finalidades da música, do louvor e da adoração no culto ao Senhor são:

1.       Preparar os corações para a mensagem da Palavra de Deus _ Em 2 Reis 3.15,16 encontramos três reis se deslocando para o campo de batalha contra os moabitas: Jorão, rei de Israel; Josafá, rei de Judá; e o rei de Edom. O profeta Eliseu era portador de uma mensagem profética de parte de Deus e solicitou um músico antes de enunciação profética. Em 1 Samuel 10.5, encontramos o louvor ao Senhor coadjuvando a palavra profética. Em Salmos 146.9 está registrado que o louvor aparece claramente relacionado à Palavra de Deus. Todo pregador do Evangelho é sabedor disso por experiência. Os evangelistas, sempre saem a pregar a Palavra de Deus, levam consigo um consagrado cantor. Procederam dessa forma, por exemplo, John Wesley, George Whitefield, Dwight Lyman Moody, Billy Graham e Bernhard Johnson.
2.      Propiciar a manifestação da glória divina no ambiente – Em 2 Crônicas 5.12-14, lemos sobre a inauguração do Templo de Deus em Jerusalém. A mensagem bíblica do canto era “O Senhor é bom e a sua benignidade dura para sempre”, 2Cr 5.13. A mensagem era simples, curta e conhecida, mas era ungida por Deus e era dEle. É disso que precisamos!
3.      Vitória sobre os inimigos – Em 2 Crônicas 20.21,22, vemos que o rei Josefa estava sozinho quando enfrentou três povos inimigos: amonitas, moabitas e edomitas (2Cr 20.22). Pelo louvor no Espírito, a derrota dos inimigos dói total. A vitória sobre o inimigo está relacionada ao louvor ao Senhor, seja que tipo de inimigo for.
4.      Libertação divina – Em atos 16.25,26, vemos Paulo e Silas aprisionados e precisando sair para continuarem a pregar o Evangelho. Quando Paulo e Silas cantavam e oravam, Deus interveio e os libertou de modo repentino, inesperado e sobrenatural. Em Atos 16.23, lemos que os dois “cantavam hinos a Deus”, ou seja, o nosso louvor precisa ter endereço certo, e também precisa ser aceito nesse endereço.
5.      Fortalecer a fé do crente – Em Romanos 4.20, lemos que Abraão fortalecia a sua fé dando gloria a Deus. Muitos crentes são fracos e raquíticos porque ainda não descobriram o poder que há em atribuir toda a glória a Deus.
6.      Adorar ao Senhor – Em 2 Crônicas 29.29,30, percebemos que louvaram ao Senhor. Louvar vem da voz, da boca do instrumento etc. Adorar vem do coração, da alma, da fé, e é gerado pelo Espírito Santo.
7.      Ensinar e admoestar o povo de Deus – Em Colossenses 3.16, o povo de Deus é ensinado e admoestado polo louvor e pela adoração ao Senhor através mensagem e da unção divina da música, da melodia, da harmonia, da letra e da presença do Senhor.

Pastor Antônio Gilberto é consultor doutrinário da CPAD.